Por favor, deixa eu ir junto!”, implorou a minha filha quando soube que nós entrevistaríamos alguém que mora em um castelo. Juntou as mãozinhas e caprichou nos olhinhos lacrimejantes ao melhor estilo do Gato de Botas da Dreamworks, técnica que ela domina como ninguém.

Expliquei que não era bem um castelo, castelo, daqueles que a gente vê na Europa, formidáveis fortalezas medievais, nada disso. Apenas uma casa que se parece com um castelo. Ela pensou um pouco e perguntou: “Vocês vão entrevistar o rei?”

Realmente, não havia um castelo no endereço onde Luciano, o sujeito que comanda a tripulação da canoa polinésia que sempre rema na baía de Porto Belo, nos deixou. Apenas um prédio quadrado, de pé-direito alto no térreo e com umas ameias para justificar a comparação régia.

O dono da propriedade, seu Pino, um italiano que vive há vinte anos em Porto Belo, deu esse pitoresco retoque em sua casa para agradar ao afilhado, um fã do período medieval.

Portanto, nosso entrevistado não é nenhum rei. Mas bem que poderia ser um Sinbad, o marujo aventureiro, já que deu a volta ao mundo em um catamarã, junto com o irmão, Bruno. E isso aos 76 anos de idade!

E também lutou na 2ª Guerra, criou visons americanos (bichinhos parecidos com uma lontra que são usados na confecção de casacos de luxo) na Patagônia argentina, mergulhou na África, ajudou a criar uma marca de roupas de mergulho famosa, entre tantas histórias que esse nonagenário nos contou.

Mas tudo isso fica para a reportagem que logo vamos publicar. Aguarde, pois vale a pena.

Compartilhe